Bar Gualdim Pais

ARQUITECTURA:
Pedro Martins e Filipe Russel
MODELO E IMAGENS 3D:
Pedro Martins e Filipe Russel
Localização:
Amares
Promotor:
Privado
DATA:
2012
Estado Actual

O bar D. Gualdim Pais, pela sua implantação privilegiada no centro histórico de Amares,assume um papel de importante relevo, por um lado, na dinamização recreativa e cultural da vila, e por outro, na sua contribuição para a harmonia que se pressente neste espaço público. Porém, estas potencialidades não se encontram totalmente aproveitadas, uma vez que o exíguo espaço interior do bar, não permite uma utilização e exploração efectivas destas potencialidades em períodos de Outono e Inverno, pois o uso de esplanadas exteriores é limitado pelas condições climáticas adversas.
Se em período de Verão o pátio formado pelo bar propriamente dito e o volume das instalações sanitárias municipais, apresenta condições excelentes para a instalação de uma esplanada, ampliando assim o espaço destinado a clientes, já em períodos frios e chuvosos esta possibilidade não se verifica, limitando deste modo a exploração das potencialidades desta estrutura.

Projecto

Partindo da opção de ampliar as capacidades de exploração e ocupação desta estrutura em períodos frios e chuvosos, propõe-se neste projecto a introdução de uma cobertura no espaço do pátio entre o bar e as instalações sanitárias municipais, bem como o encerramento frontal e traseiro deste espaço, através da colocação de envidraçados permitindo deste modo, gerar um espaço coberto e aquecido. Aumenta-se deste modo a área de ocupação do edifício através de uma lógica de continuidade com as características existentes, tanto a nível formal, como construtivo, com o objectivo de respeitar as qualidades arquitectónicas presentes no edifício.
Pretende-se deste modo contribuir para o aumento geral da qualidade desta estrutura, bem como dos serviços que pode prestar.

Organização Funcional

A estrutura espacial do bar mantém-se, com a entrada a poente. A articulação entre este espaço e o novo espaço coberto é conseguida através da abertura do envidraçado a norte, transpondo-o para a fachada frontal do pátio que estabelece um plano contínuo com o envidraçado existente. Esta intervenção permite que em períodos quentes se possa abrir também o pátio ao exterior, de modo a realizar ventilação cruzada do espaço, bem como aumentar a relação do interior com a praça exterior.
Ressalvamos a eventual necessidade de realizar uma comunicação interior do bar como as instalações sanitárias municipais, de modo a evitar o óbvio inconveniente de futuros clientes do estabelecimento serem obrigados a sair do edifício para acederem aos sanitários.